Receita Feijoada à Transmontana

Share Button

Mais outro prato clássico da gastronomia portuguesa, a feijoada à transmontana tem origem na região de Candedo, e tradicional na zona de Valpaços, que por tradição é preparada cedo de manhã, para ser reaquecida na altura de ser servida.

Esta receita é a tradicional, mas caso não tenhas acesso, podes trocar vários dos ingredientes, usar farinheiras, chouriço de carne, morcela, chispe, entrecosto ou entremeada, basicamente carnes curadas ou partes menos nobres do porco.

Ingredientes:

Feijão Vermelho – 1 Kg (Seco)
Orelha de Porco – 500gr

Focinho de Porco – 200gr
Pé de Porco – 1 Inteiro

Linguiça – 1 (ou um choriço)
Salpicão – 100gr

Presunto – 100gr
Azeite – 10ml (2 Colheres de sopa)

Cebola – 1 Grande (ou 2 médias)
Salsa – 1 Ramo

Louro – 1 Folha
Alho – 2 Dentes de Alho

Cravinho – 1
Pimenta Branca – A gosto

Colorau – A gosto

Malaguetas – A gosto
Sal – A gosto

Instruções:

Começa de véspera a por de molho em água fria, numa taça funda o feijão previamente lavado (se tiveres feijão já previamente cozido, então salta esta parte) e noutra taça adiciona as carnes (expecto os chouriços) também de molho.

No dia seguinte, começa por cozer o feijão já previamente demolhado em água o suficiente para cobrir o feijão com um pouco de sal.

Noutra panela (se quiseres despachar podes usar a panela de pressão) junta as carnes todas incluído os chouriços, com água a cobrir toda a carne e sal, depois de cozidos, tira as carnes e corta tudo em pedaços grandes.

Numa panela põe um fio de azeite e começa a alourar a cebola, depois adiciona o feijão com a água do feijão (se for muita água, então não deites toda).

Depois junta as carnes com um pouco da água que usaste para cozer as carnes, retifica o sal, junta a salsa picada, a folha de louro, os dentes de alho esmagados, um pouco de malagueta, uma pitada de colorau, e um cravinho.

Agora deixa apurar em lume brando, prova e retifica até ficar com tudo bem cozido e um molho delicioso.
Servido tradicionalmente com arroz branco de forno.

Fonte: www.iguaria.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *