Até entendo que a profissão de treinador tenha situações perversas

Share Button

Até entendo que a profissão de treinador tenha situações perversas, entendo portanto que tenhas de desempenhar o teu papel como treinador do Irão e como tal não traias os princípios de idoneidade profissional.

Já não consigo entender o teu comportamento acintoso, provocador e patético durante o jogo com Portugal, o modo como festejaste o golo do Irão, como pressionaram a equipa de arbitragem sobretudo para expulsarem o Cristiano
Ronaldo; quis o árbitro assim não o fazer porque muito provavelmente o resultado final seria o mesmo e Portugal estaria agora com menos argumentos para continuar a discutir o Mundial nos próximos jogos… mostraste ai o teu patriotismo fedorento.

Depois do jogo as tuas declarações continuaram a ser aquilo que tu de facto és; vis, baixas e mais uma vez patéticas; falando do cotovelo do Cristiano e esquecendo, essa sim, a agressão ao Ricardo Quaresma

Falaste de favorecimento a seleção portuguesa e esqueces que Portugal foi prejudicado no jogo com Espanha, que o teu golo contra Portugal nasceu de um pênalti inventado, que o posicionamento do guarda redes iraniniano era irregular e logo o pênalti do Cristiano deveria ser repetido, que o teu defesa desviou a bola com o braço dentro da área no livre do Cristiano… resumindo, és muito baixo, muito reles mesmo e não mereces ter passaporte Português.

Faz um favor a todos nós; não voltes a este país tu não és digno do chão que aqui pisas e traidores já cá há que baste…. se te atreveres a cá voltar vais ter a indignação de muito portugueses, esses sim verdadeiros patriotas…. a cor do teu país é a cor do dinheiro, és um nojo!

TEXTO Ana Lexim Rouçado

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

12 + sixteen =